As turistas mortas são afinal alemãs e não ucranianas, diz agora a Reuters citando fontes da segurança. Das outras vítimas, hospitalizadas, duas serão checas.

Duas turistas foram mortas e mais quatro pessoas ficaram gravemente feridas por um atacante com uma faca no resort Egyptian Red Sea, no Egipto, segundo o Ministério do Interior do país e fontes da segurança, citadas pela Reuters.

As causas do ataque ainda estão sob investigação, mas o Ministério adianta que o atacante, que está preso, terá tido acesso ao resort, situado em in Hurghada, a 400 quilómetros do Cairo, a capital, através de uma praia pública.

Fontes da segurança, e do hospital, dizem que as vítimas mortais são mulheres. As restantes foram transportadas para o hospital.

As forças egípcias lutam contras as investidas islâmicas na Península de Sinai e os militantes já lançaram ataques, no passado, a zonas turísticas.

Em janeiro de 2016, dois assaltantes com armas, faca e um cinto de explosivos feriram dois turistas estrangeiros, também num hotel em Hurghada, disseram à Reuters fontes da segurança.