As autoridades londrinas ainda continuam à procura de respostas, mas tudo aponta que um corpo encontrado quinta-feira de manhã, num telhado da cidade, caiu de um avião da British Airways, que se preparava para aterrar no aeroporto de Heathrow.

As suspeitas são alimentadas por um outro caso, detetado pouco antes, quando um passageiro clandestino foi recolhido inanimado do trem de aterragem de um avião da companhia aérea britânica, que partira de Joanesburgo.

O homem estava em estado grave e foi levado para o hospital. Apesar das autoridades ainda não terem a certeza absoluta da ligação entre os dois casos, tudo leva a crer que a ligação existe.
 
O cadáver estava num topo de um edifício onde funcionam os escritórios de uma loja eletrónica, situada na zona ocidental da capital britânica.  

O prédio fica sob um corredor de aterragem do aeroporto, por onde passara o Boeing da British Airways. Segundo os radares, a 427 metros de altitude.

Este não é o primeiro caso do género. Em 2012, o moçambicano José Matada, de 26 anos, tentou chegar a Londres, desde Luanda, num trem de aterragem. Morreu após cair em Mortlake, não muito longe da zona onde foi encontrada a vítima de quinta-feira.

Estas viagens costumam terminar mal para os passageiros clandestinos. Os números indicam que três quartos morrem devido às temperaturas muito baixas (podem chegar aos 60º negativos) e à falta de oxigénio.