Houtouwan é uma pequena aldeia na Ilha de Shengshan, em Xangai, onde habitam poucos habitantes. No entanto, os turistas descobriram a aldeia perdida, onde um dia viveram mais de dois mil pescadores, e apaixonaram-se por ela.
 
Todos os dias, centenas de turistas visitam Houtouwan e exploram o possível por entre as cerca de 500 casas abandonadas tomadas pela vegetação.

A vila remota, situada numa das mais 400 ilhas do arquipélago de Shengsi, foi abandonada no início dos anos 90 pelos moradores mais ricos, seguidos dos restantes que quiseram deixar os problemas, como a falta de educação e de comida, para trás. Em 1994, quase todos já tinham partido.

Sun Ayue, um dos poucos residentes, convidou o fotojornalista da Reuters, Damir Sagolj, a entrar na sua casa. Sagolj conta que a casa de apenas um quarto tinha apenas uma cama de madeira sem colchão, uma cadeira para que Sun se sentasse e outra a servir de mesa. O chão era escasso e a iluminação feita por velas. 

Na aldeia vivem apenas mais três pessoas: uma idosa e um casal que vive com os cães numa escola abandonada. 

Depois de os turistas começaram a chegar à aldeia, alguns dos antigos habitantes regressaram a Houtouwan. Mas ninguém ficou. Voltam apenas por algum tempo para tomar conta da aldeia e dos turistas que por ali passam.