Um homem, que foi dado como morto pelos médicos, foi encontrado pelo irmão ainda a respirar, dentro de um saco, na morgue de um hospital brasileiro, segundo o jornal «Correio24horas».

A família terá sido informada que Valdelúcio Gonçalves, de 54 anos, tinha morrido depois de uma insuficiência respiratória, por volta das 23 horas de sábado. Mas duas horas depois, quando o irmão teve acesso à morgue para vestir o corpo, percebeu que o saca estava a mover-se.

«O saco estava fechado e mexia-se, subindo e descendo como se ele estivesse a respirar. Ele [o irmão] chamou as pessoas para verem o que estava a acontecer», explicou Patricia Gonçalves, sobrinha de Valdelúcio, ao «Correio24horas».

Valdelúcio, com cancro, ia ser internado num hospital de Salvador para prosseguir o tratamento da doença. Contudo, antes disso, sentiu-se mal e teve de ser hospitalizado no Hospital Geral Menandro de Faria, em Lauro de Freitas, onde tudo aconteceu.

Agora, a sobrinha garante que o brasileiro se encontra bem, internado na Unidade de Cuidados Intensivos do hospital.

No entanto, a família garante que antes de se saber que afinal Valdelúcio estava vivo, já tinha providenciado o funeral do homem. Segundo a sobrinha, o hospital chegou mesmo a emitir uma declaração de óbito.