A antiga patroa da empregada indonésia Erwiana Sulistyaningsih, trabalhadora em Hong Kong, agrediu-a com um tubo de aspirador, com uma esfregona, cabides e réguas, devido ao seu fraco desempenho no trabalho, referiu o tribunal, citado pela Lusa.

Law Wan-tung, 44 anos, também empurrou a sua empregada doméstica, nomeadamente com a cabeça, contra uma parede, e ameaçou matar os seus pais caso a funcionária não obedecesse às suas ordens, assinalou a acusação.

A patroa é acusada de agressão grave com intenção, danos corporais por agressão ocasional, agressão comum e tem ainda contra si quatro acusações de intimidação contra três antigas empregadas domésticas.

As alegadas vítimas são todas de nacionalidade indonésia.

A Procuradora afirmou que Erwiana Sulistyaningsih sofreu múltiplos ferimentos que terão, alegadamente, sido perpetrados na residência da antiga patroa entre julho de 2013 e janeiro deste ano.

Law Wan-tung foi libertada sob caução - meio milhão de dólares de Hong Kong (50.000 euros) -, não pode deixar Hong Kong nem contactar com testemunhas de acusação e está obrigada a apresentações diárias na esquadra.

Tanto Law Wan-tung, que foi intercetada pelos serviços de Migração de Hong Kong na segunda-feira quando tentava abandonar Hong Kong para a Tailândia, como o marido não falaram aos jornalistas e abandonaram o tribunal de cara tapada.

O caso da funcionária indonésia chocou Hong Kong pela violência manifestada e está a agitar a região administrativa especial, nomeadamente pelos direitos das empregadas domésticas e pela forma como são tratadas em casa dos patrões.