“A decisão de fazer tal declaração na véspera da abertura do sínodo parece uma coisa séria e irresponsável, uma vez que visa submeter a Assembleia Sinodal a uma pressão inconveniente dos media”, afirmou um porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, citado pela AP.




“Eu assumi-me. Esta foi uma decisão muito pessoal, difícil e dura no mundo da Igreja Católica homofóbica”, disse.


Polish daily Gazeta Wyborcza"

“Eu tenho de dizer quem eu sou. Eu sou um padre gay. Sou um padre feliz e homossexual”.