A Rússia não vai perseguir os gays. Quem o garante é Vladimir Putin, que defende a proibição da «propaganda da homossexualidade», que gerou críticas do Ocidente.

Os críticos afirmam que esta lei é discriminatória e parte de uma reversão dos direitos humanos e das liberdades democráticas por causa de Putin, que tomou um rumo mais conservador nas questões sociais.

«Não existe proibição de formas não tradicionais de interação sexual entre as pessoas. Nós temos uma proibição de propaganda da homossexualidade. Nós não proibimos nada, não estamos a ir atrás de ninguém, não temos nenhuma responsabilidade para tal coisa. As pessoas podem sentir-se livre e à vontade, mas por favor, deixem as crianças em paz», afirmou Putin numa reunião de jovens que se preparam para os Jogos de Inverno.

O Kremlin espera que os Jogos de Inverno mostrem a face moderna da Rússia mais de duas décadas após o colapso da União Soviética.