Um saudita homossexual foi condenado a três anos de cadeia e 450 chicotadas, depois de ter sido apanhado a combinar encontros com outros homens através do Twitter. O homem foi considerado culpado, pelo tribunal de Medina, na Arábia Saudita, de «promover o vício e a prática da homossexualidade».

De acordo com o jornal árabe «Al-Watan», citado pelo britânico «The Independent», depois de uma investigação da Comissão para a Promoção da Virtude e Prevenção do Vício (CPVPV). O homem, que tem 24 anos, foi aliciado por falsos homossexuais, que na realidade eram agentes da CPVPV e que o aliciaram para um encontro através do Twitter. Foi preso e o seu telemóvel foi confiscado.

Uma análise ao telemóvel revelou «imagens indecentes» e outras «provas da sua homossexualidade».

O rapaz vai agora cumprir os três anos de cadeia e ser sujeito às 450 chicotadas, divididas por 15 sessões.

A sentença não é inédita. Já em 2012, um outro homem terá sido preso por usar o Facebook como veículo para marcar encontros com outros gays.

Na Arábia Saudita, como noutros países árabes, a homossexualidade é considerada uma tabu e pode levar à prisão aqueles que forem considerados «culpados».