Uma mulher de 47 anos matou uma professora à facada, esta sexta-feira, durante uma aula na escola primária de Albi, em França.

«Esta manhã, uma mãe apareceu com uma faca e esfaqueou a professora de 34 anos em frente aos seus alunos, por razões que vão ser averiguadas na investigação», disse à AFP o procurador local, Claude Derens.

A escola, com 284 alunos dos três aos 11 anos, foi evacuada de imediato e a agressora foi detida. Os alunos que testemunharam o homicídio têm entre cinco e seis anos e ainda não se sabe se o filho ou a filha da mulher que matou a professora estava nesta sala.

O presidente François Hollande lamentou o incidente e prometeu ajuda rapidamente. «Todos os serviços do Estado serão mobilizados para ajudar as crianças e os funcionários que testemunharam esta horrível tragédia», pode ler-se no comunicado.

No local já se encontra o ministro da Educação, Benoît Hamon, que destapou uma das causas do sucedido: «Este é um ato terrível, o homicídio de uma professora na sua sala de aula, em frente aos seus alunos, por uma mulher que parece ter problemas psiquiátricos significativos».

Também o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, expressou a sua «consternação» e afirmou, em comunicado, que «toda a comunidade educativa está de luto».

O incidente ocorre numa altura em que se discute a falta de segurança nos estabelecimentos de ensino em França. «Esta tragédia confirma que temos necessidade de lutar contra a violência dentro e à volta das escolas e de proteger as escolas, os professores e os alunos», constatou o ministro da Educação.

Um estudo divulgado na quinta-feira revelou que os profissionais da Educação franceses têm duas vezes mais probabilidades de ser ameaçados ou insultados do que nas outras áreas. 12 por cento garante que já sofreu ameaças ou insultos e 0,6% admite agressões físicas.

Em abril, um outro estudo já tinha concluído que 49 por cento dos diretores de escolas primárias foram agredidos verbalmente ou fisicamente só no ano letivo de 2012/2013.

O último episódio de violência numa escola em França ocorreu em 2012, quando quatro pessoas, incluindo três crianças, morreram num tiroteio numa escola judaica em Toulouse.