Uma estilista iraniana foi assassinada, no passado fim-de-semana, em Itália, depois de recusar fazer sexo em grupo com um casal indiano com quem residia. O corpo da mulher, de 35 anos, foi encontrado a boiar na lagoa de Veneza.

De acordo com a imprensa italiana, Mahtab Ahad Savoji era uma estilista muito conhecida no Irão. Desde janeiro que se encontrava a viver em Milão, onde frequentava um curso de dois meses na Academia de Belas Artes de Brera.

Mahtab Ahad Savoji partilhava um apartamento com um casal indiano. A saber, Rajeshwar Sing, de 28 anos, porteiro de um hotel, e a noiva, Gagandeep Kaur, de 30 anos, camareira na mesma unidade turística.

Mahtab Ahad Savoji já tinha confessado a umas amigas que não gostava de partilhar o apartamento com o casal, por ambos estarem a pressioná-la a relações sexuais em grupo.

Quando o corpo da estilista foi encontrado a flutuar na lagoa de Veneza, o casal indiano recusou-se a assumir responsabilidades na morte. Confrontados pela polícia com imagens de câmaras de vigilância que mostravam os dois em viagem a transportar uma mala pesada, viram-se incapazes de continuar a mentir.

Rajeshwar Sing e a noiva confessaram ter estrangulado a estilista e disseram que, motivados pelo pânico, resolveram meter o corpo numa mala. A polícia de Milão pôde confirmar que o corpo encontrado em Veneza pertencia à estilista iraniana através das impressões digitais que ela tinha deixado em documentos entregues com vista à obtenção de uma permissão de residência.