“Bella era uma verdadeira inocente, cuja vida acabou não por doença ou por acidente mas, acreditamos, por um ato de violência no local onde deveria ter-se sentido mais segura – na sua própria casa”, afirmou o procurador do caso.

“Parece que foi uma situação em que o namorado esteve envolvido e na qual, aparentemente, mãe e namorado se culparam mutuamente quanto a quem maltratou a criança”, Robert DeLeo, um porta-voz da Massachusetts House.


Michael por suspeita de homicídio e 



“Ela disse que não queria que ninguém a levasse para longe dela e que estava a tentar ser a melhor mãe possível”, contou, acrescentando que já não ouvia a criança há quase um ano. “Eu costumava ouvir a rapariga a chorar, a correr ou a brincar. Mas já não o ouvia há meses”.