Morgan Freeman juntou-se à lista de estrelas de Hollywood que estão a ser acusadas de assédio sexual depois de várias mulheres terem denunciado o ator. Em entrevista à CNN, uma das oito mulheres, uma jovem assistente que trabalhou com o ator, contou a sua história.

Segundo a jovem, que trabalhou com Morgan Freeman, em 2015, no filme "Going in Style" ("Ladrões Com Muito Estilo", em português), disse que aquele que pensava que ia ser um trabalho de sonho, acabou por ser uma tortura. 

De acordo com o seu testemunho, o ator de 80 terá tocado a assistente de produção de forma inapropriada e dito comentários sobre a roupa ou a sua aparência física. Numa dessas ocasiões, Freeman terá mesmo levantado a saia da jovem e perguntou-lhe se usava roupa interior. Mas, por sorte, os dois não estavam sozinhos. Na sala estava outro dos protagonista do filme, Alan Arkin, que pediu a Morgan para parar com este tipo de comportamento.  

Para além deste relato, outras sete mulheres vieram a público dizer que esta não seria a primeira que Freeman terá tido este tipo de comportamento. No filme "Now You See Me" ("Mestres da Ilusão"), em 2012, o ator terá mesmo assediado um elemento sénior da produção. 

Ele fazia comentários ao nosso corpo... Nós sabíamos que se ele fosse ... não usávamos algum top que mostrasse as mamas, não vestíamos nada curto, o que significa que não vestíamos nada que fosse justo", disse ela. 

No total 16 pessoas falaram com a CNN e todas elas descrevem um padrão de comportamento inapropriado por parte do ator, mas apenas oito dizem que foram vítimas do seu comportamento.

Morgan Freeman já pediu desculpa

O ator emitiu um comunicado a pedir desculpa a qualquer pessoa que se tenha sentido ofendida, dizendo que nada foi intencional.

 "Qualquer pessoa que me conhece ou que tenha trabalhado comigo sabe que não sou alguém que ofende intencionalmente”, pode ler-se na nota.