O francês Serge Atlaoui, que está no corredor da morte na Indonésia por tráfico de droga, não vai fazer parte do próximo lote de execuções judiciais no país, disse hoje um porta-voz do Procurador-geral da Indonésia.

Questionado sobre se os relatos de que Serge Atlaoui, de 51 anos, iria ser excluído do próximo conjunto de execuções por mandato judicial no país, dado que ainda tem pendente um recurso legal, o porta-voz do procurador-geral indiano respondeu: "Sim, correto".

A resposta das autoridades indianas surge no mesmo dia em que a França ameaçou com consequências "diplomáticas" caso o cidadão francês fosse executado por ordem judicial na Indonésia.

O Presidente de França advertiu mesmo que haveria consequências “diplomáticas” se o francês Serge Atlaoui fosse executado na Indonésia.

O Governo indonésio anunciou, na quinta-feira, ter emitido a ordem para preparar as execuções de dez condenados à morte por tráfico de droga, incluindo o francês e o brasileiro Rodrigo Gularte.

“Se ele (Serge Atlaoui) for executado, haverá consequências da França e da Europa, porque não podemos aceitar este tipo de execuções”, declarou à imprensa François Hollande, à margem de uma breve visita que fez a Baku, no Azerbaijão, referindo ainda que estas consequências serão essencialmente “diplomáticas”.