O grupo extremista Estado Islâmico executou na semana passada oito dos seus combatentes holandeses, acusados de tentativa de deserção e de rebelião, afirmou a organização “Raqa massacrada em silêncio”.

“O Daesh (autoproclamado Estado Islâmico) executou oito combatentes holandeses na sexta-feira em Maadan, na província de Raqa, Síria, depois de os ter acusado de tentativa de deserção e de rebelião”, afirmou à agência noticiosa France Presse (AFP) através do Twitter Abu Mohammad, um dos responsáveis daquela organização não-governamental.

No mês passado, houve tensões entre 75 combatentes holandeses do grupo extremista Estado Islâmico, agrupados em Raqa, e iraquianos e membros dos serviços secretos do Daesh.

Segundo os serviços de informação holandeses, que não confirmam as execuções, 200 holandeses, entre os quais 50 mulheres, juntaram-se ao grupo extremista Estado Islâmico na Síria e no Iraque.