O príncipe Henrique da Dinamarca, marido da rainha Margarida, morreu na terça-feira, aos 83 anos, na sequência de uma infeção respiratória, anunciou a Casa Real deste país escandinavo.

Sua Alteza Real, o Príncipe Henrique, morreu na terça-feira, 13 de fevereiro, às 23:18 no Castelo de Fredensborg", uma residência real localizada a cerca de quarenta quilómetros de Copenhaga, anunciou em comunicado a Casa Real dinamarquesa.

O príncipe-consorte, de origem francesa, tinha sido obrigado a interromper as férias no Egito para regressar a Copenhaga, onde foi internado, a 28 de janeiro, com uma infeção respiratória. Após vários exames foi descoberto que tinha um tumor benigno no pulmão esquerdo.

Henrique nasceu em Talence, perto de Bordéus e foi batizado com o nome Henri Marie Jean André de Laborde de Monpezat.

Filho de um empresário com negócios na Ásia, estudou Direito e Ciência Política, na Sorbonne, em Paris. Em 1963, depois de ter servido o exército francês na Guerra da Argélia, foi trabalhar como secretário da embaixada francesa em Londres, onde esteve até 1967.

No mesmo ano casou-se com a herdeira ao trono dinamarquês na escola naval de Copenhaga, que viria a tornar-se rainha em 1972. Deixa dois filhos, o príncipe herdeiro Frederico e o príncipe Joaquim.

Longe da mulher

A 28 de janeiro, o príncipe Henrique da Dinamarca foi internado em Copenhaga com uma infeção respiratória. Após vários exames, foi descoberto que o marido da Rainha Margarida tinha um tumor benigno no pulmão esquerdo.

A infeção respiratória passou a pneumonia e o estado de saúde do príncipe Henrique agravou-se seriamente, levando a Casa Real a enviar um comunicado, no dia 9 de fevereiro, a revelar que o seu estado de saúde inspirava cuidados e que o príncipe Frederico, o príncipe herdeiro, que se encontrava na Coreia do Sul para os Jogos Olímpicos de Inverno, a regressar de imediato à Dinamarca.

Mas já em setembro de 2017, a Casa Real da Dinamarca revelou que o príncipe sofria de demência e que o seu estado de saúde se tinha deteriorado.

O anúncio foi feito cerca de um mês depois de o príncipe Henrique ter causado polémica ao afirmar, numa declaração partilhada pela própria Casa Real, que não queria ser enterrado ao lado da Rainha Margarida, com quem é casado desde 1967, no mausoléu real da catedral de Roskilde.

Isto porque o príncipe consorte queixava-se há anos de nunca ter sido reconhecido como igual à mulher, a rainha Margarida, nunca lhe tendo sido atribuído o título de rei

O príncipe Henrique retirou-se da vida pública em 2016 e renunciou ao título de príncipe consorte. Desde então passou a maior parte do tempo na vinha privada que tem em França, país de onde é natural, mesmo continuando casado com a rainha da Dinamarca.