Três soldados franceses morreram na Líbia. O helicóptero em que seguiam os militares despenhou-se durante uma missão, noticia a Reuters esta quarta-feira. 

A informação foi confirmada pelo próprio presidente francês, que se viu assim obrigado a reconhecer a presença de forças especiais na Líbia.

“Neste momento, estamos a realizar operações muito perigosas na Líbia. Três dos nossos soldados, que participavam nestas operações, morreram vítimas de um acidente com um helicóptero". 

 

O acidente serviu também para François Hollande reconhecer que a França está no terreno líbio, quando antes apenas assumira fazer voos de reconhecimento. 

Neste momento, estamos a levar a cabo perigosas operações secretas", reconheceu o presidente francês.

Numa entrevista, esta quarta-feira, à France Info, o porta-voz do ministério da Defesa, Stephane Le Foll,  confirmou oficialmente a presença de forças francesas na Líbia, argumentando que "a França tem de estar presente em todos os palcos de combate ao terrorismo". Esta afirmação vem dar razão à notícia já divulgada pelo jornal Le Monde, em fevereiro, de que havia soldados franceses na Líbia. 

A Associated Press dava conta, na terça-feira, de que um helicóptero militar francês tinha sido abatido, no domingo, por uma milícia islâmica, perto de Bengazi.

Desde a deposição e morte do presidente Moamar Kadhafi, em 2011, a Líbia tem sido palco de confrontos entre milícias rivais.

Forças do Daesh aproveitaram-se da fraqueza do novo governo do país e tomaram a cidade costeira de Sirte, que as forças governamentais apoiadas pelas Nações Unidas tentam, há dois meses, reconquistar.