O presidente do Irão revelou a vontade de chegar a um acordo com a comunidade mundial na questão nuclear, mas avisou que não o fará pressionado por ameaças.

Hassan Rohani deu nesta terça-feira a sua primeira conferência de imprensa depois de ter sido eleito e mostrou-se «seriamente determinado» em conseguir progressos na polémica sobre o programa nuclear do país declarando-se preparado para encetar negociações sérias e substantivas».

O recém-eleito presidente iraniano disse, porém, como veicula a Reuters, que uma solução «só pode ser encontrada através de conversações, não de ameaças».

Rohani assumiu-se confiante em que as preocupações de ambos os lados possam a breve prazo ser eliminadas destacando que «o caminho para a interação será aberto» se os Estados Unidos mostrarem boa vontade e houver respeito mútuo.

A Rússia manifestou entretanto, pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, o apoio à atitude anunciada pelo Irão.

«Concordamos em absoluto com o que disse» Rohani, assumiu Sergei Lavrov frisando que «este problema não deve ser resolvido com ultimatos» e que «agora é essencial apoiar a abordagem construtiva da liderança iraniana».

Os Estados Unidos também comentaram posteriormente a posição iraniana e, pelo departamento de estado norte-americano, referiram que as palavras de Rohani dão-lhe a hipótese de «agir depressa», mas ressalvam que «a bola está do lado do Irão»

[artigo atualizado às 20:58]