Um estudo da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, revela que ingerir diariamente chocolate pode melhorar a circulação sanguínea e as capacidades cerebrais.

Os cientistas analisaram um grupo de 60 pessoas com mais de 65 anos e uma média de idade de 73. Quando iniciaram o estudo, 18 dos idosos tinham problemas de circulação sanguínea. Metade dos participantes na amostra, beberam chocolate quente, negro, com alto teor de "flavonol" e outra metade com baixos níveis do produto antioxidante que compõe o chocolate negro.

As conclusões do estudo mostram que beber duas canecas, por dia, de chocolate negro quente durante 30 dias melhorou a circulação sanguínea no cérebro levando a melhores resultados em testes de memória junto dos idosos com problemas de circulação.

«Ao mesmo tempo que as diferentes áreas do cérebro precisam de mais energia para completarem as suas tarefas, também precisam de uma maior circulação sanguínea. Esta relação a que chamamos de acasalamento neurovascular, pode ter um papel importante em doenças como o Alzheimer», afirma Farzaneh A. Sorond, cientista da Faculdade de medicina de Harvard.

O estudo revelou que, durante o período em causa, os participantes, que tinham dificuldades de circulação, melhoraram em 8,3% a sua circulação sanguínea. Tanto o chocolate negro rico em "flavonol" como o pobre nesta substância revelaram ter um bom efeito na circulação sanguínea. Daí haver outros cientistas que referem que os efeitos vasculares do cacau podem não estar relacionados com o "flavonol".



Durante o mês em que se sujeitaram ao estudo, os idosos da amostram não comeram nenhum outro tipo de chocolate.