A escritora britânica J. K. Rowling, autora da saga Harry Potter, confessou que uma das personagens, a bruxa Dolores Umbridge, foi inspirada numa mulher que detestava, entre outras revelações divulgadas na página da internet Pottermore.

A autora regressou no Halloween ao universo mágico que envolve o popular feiticeiro adolescente ao escrever nesta página, onde oferece aos seus seguidores histórias sobre os lugares e personagens dos aclamados livros.

Entre as revelações, a autora desvenda o contexto em que criou a prisão de Azkaban ou qual é a origem de Dolores Umbridge, uma bruxa que, na adaptação ao cinema das histórias de Potter, foi representada pela atriz Imelda Staunton.

A autora, que publicou sete livros de Potter entre 1997 e 2007, descreve que a personagem de Umbridge, que atormentava o mago adolescente como professora na escola de magia de Hogwarts, se baseia, na realidade, numa pessoa que conhecia e que detestava intensamente.

Sobre a personagem, Rowling confessou ser uma das protagonistas da saga de Harry Potter por quem sentia «a mais pura antipatia».

Segundo a autora, o «desejo de controlar, de castigar e de infligir dor, tudo em nome da lei e da ordem» desta bruxa são «tão censuráveis» como Voldemort, o personagem mais maligno.