O Hamas, que governa a Faixa de Gaza, liderou hoje milhares de pessoas em mais um protesto na fronteira com Israel, durante o qual foi morto por militares israelitas um palestiniano com 25 anos e foram feridas 90 pessoas .

Este foi o mais recente de uma série de protestos ao longo da fronteira, que tem entre os seus objetivos o de romper o bloqueio ao território palestiniano, que já dura há 11 anos.

O protesto de hoje teve a presença de vários líderes do Hamas, que vivem no exílio, entrados no território na quinta-feira, para reuniões com a comissão política do grupo.

“Queremos quebrar o bloqueio de uma vez por todas”, afirmou um dos líderes do Hamas, agora chegados ao território, Hussam Badran.

A comissão política está a discutir propostas egípcias para uma trégua com Israel e a reconstrução da Faixa de Gaza, liderada pela Organização das Nações Unidas, afirmou um dos membros do grupo, instalado em Gaza, Ghazi Hamad.

As reuniões começaram na quinta-feira e vão prosseguir até sábado, adiantou Hamad.

Esta é a primeira vez que todos os membros da comissão política estão junto na Faixa de Gaza, realçou o Hamas.

O morto de hoje eleva para 156 o número de palestinianos mortos pelos israelitas desde o final de março, incluindo pelo menos 118 nos protestos perto da fronteira. Existem ainda milhares de palestinianos feridos pelas tropas israelitas.