Os acampamentos, para homens entre os 15 e os 60 anos, foram denominados de “campos de libertação de prisioneiros”, uma provável referência ao sequestro de israelitas para serem trocados por presos palestinianos, segundo a EFE.

“O objetivo dos acampamentos é preparar uma geração de libertação de jovens palestinianos e melhorar as suas competências espirituais, mentais, físicas e o seu comportamento”, declarou a milícia num comunicado na sua página oficial.