O local onde foi assassinado «Nino» Vieira apresenta sinais de um crime executado com violência, tendo o ex-presidente guineense sido «crivado de balas», disse esta terça-feira à Lusa fonte governamental que viu o cadáver.

Uma fotografia obtida pela Agência Lusa exibe o local do crime com uma grande mancha de sangue no chão e na parede da residência do ex-Presidente.

O corpo de «Nino» Vieira, assassinado na sua casa na madrugada de segunda-feira por militares ainda não identificados, bem como do general Tagmé Na Waié, morto horas antes num atentado à bomba, encontram-se na morgue do Hospital Simão Mendes, em Bissau.

Segundo a mesma fonte, além das marcas das balas, o corpo do ex-chefe de Estado, apresenta «marcas de golpes» de arma branca e «uma grande ferida na cabeça».

«Os corpos não vão ser exibidos», garantiu a mesma fonte. «Isto não é um circo», enfatizou, lembrando sobretudo o cadáver do ex-Chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas, general Tagmé Na Waié, que foi vítima de uma explosão violenta no seu gabinete.

O funeral de Tagmé Na Waié está previsto para quinta-feira e o de «Nino» Vieira não tem ainda data marcada mas será realizado até domingo.