O representante especial da Organização das Nações Unidas (ONU) na Guiné-Bissau, Ramos-Horta, anunciou hoje que o antigo Presidente guineense Kumba Ialá pretende «ajudar a consolidar a paz e a democracia» no país.

Segundo a Lusa, a declaração do responsável pela missão da ONU surgiu em comunicado, depois de reuniões que manteve no domingo com várias figuras políticas guineenses.

Kumba Ialá foi um dos cinco candidatos que se queixaram de fraude na primeira volta das eleições presidenciais de 2012, denúncias que antecederam o golpe de estado militar de 12 de abril - que impediu a realização da segunda volta e levou ao atual período de transição política.