O ministro de Estado e porta-voz do Governo de transição na Guiné-Bissau, Fernando Vaz, é o escolhido pelo grupo de 23 partidos agrupados no Fórum Guiné-Bissau para candidato a primeiro-ministro nas eleições gerais de 16 de março.

Foi o próprio Fernando Vaz quem o revelou esta segunda-feira aos jornalistas, na sequência de uma reunião do Fórum Guiné-Bissau, realizada no domingo em Bissau, na qual ficou também decidido que Afonso Té será o candidato do grupo para a Presidência da República.

Líder da União Patriótica Guineense (UPG), Fernando Vaz disse que a meta do Fórum é atingir o poder e trabalhar para mudar a imagem interna e externa da Guiné-Bissau.

Já o candidato à presidência do país, Afonso Té, líder do Partido Republicano da Independência e Desenvolvimento (PRID), afirmou que o Fórum Guiné-Bissau pretende assumir o poder por via democrática e desta forma desencorajar golpes de Estado no país.

O grosso de partidos agrupados no Fórum Guiné-Bissau é constituído por apoiantes desde a primeira hora do golpe de Estado militar de 12 de abril de 2012, que destituiu os órgãos eleitos.

Juntas, as duas forças políticas representam cerca de 95 por cento de assentos na Assembleia Nacional Popular (ANP, parlamento guineense).