Os seis homens capturados pelo exército governamental quinta-feira na região de Mucodzi, distrito de Gorongosa, Sofala, centro de Moçambique, após confrontos com guerrilheiros da Renamo, negam sua participação do ataque e asseguram terem sido «confundidos».

«Eu estava na machamba (horta) com a minha esposa quando os confrontos começaram, então deitámos-nos no chão até que os disparos cessarem. Depois, aproximei o exército para pedir ajuda para atravessar a rua para a minha casa e fui preso», disse à agência Lusa Lino Jofrisse, que se identifica como um camponês da região, e que o Exército o aponta como principal artilheiro dos guerrilheiros.