A Frente de Nusra, braço da Al Qaeda na Síria, controlou nas últimas horas cinco povoações na província do noroeste de Idleb, após combates com o Exército Sírio Livre (ELS).

Segundo informou hoje o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, as localidades que caíram nas mãos dos jihadistas são Maarshurin, Masran, Dadij, Kafr Batij e Kafruma.

Estas zonas estavam controladas pelas brigadas do ELS e de outros grupos islamitas aliados.

Cerca de 15 mil combatentes estrangeiros, de mais de 80 países, viajaram para a Síria e Iraque para se juntarem a grupos extremistas, numa «escala sem precedentes», segundo um relatório das Nações Unidas publicado esta sexta-feira no Reino Unido. 

De acordo com o estudo da ONU, publicado no jornal britânico "The Guardian", estas pessoas, que viajaram para integrar o autoproclamado Estado Islâmico (EI) e outros grupos radicais, têm origem em «países que não enfrentaram antes desafios relacionados com a Al-Qaida». 

O número de jihadistas estrangeiros desde 2010 ultrapassa «em muitas vezes» o total dos 20 anos anteriores, segundo o Conselho de Segurança das Nações Unidas.