O Presidente moçambicano, Armando Guebuza, condenou no sábado o ataque, atribuído à Renamo, que destruiu um autocarro na zona de Muxúnguè, em Sofala, no centro de Moçambique. O ataque causou um morto e ferimentos em nove pessoas, incluindo uma criança.

O porta-voz da Presidência de Moçambique, Edson Macuácua, disse que apesar do «ataque perpetrado pela Renamo», o chefe de Estado moçambicano pretende dialogar com o líder do principal partido da oposição, Afonso Dhlakama, que se encontra em parte incerta.

Em declarações aos jornalistas, Edson Macuácua disse que o Presidente moçambicano considera que «a única solução de qualquer diferença é o diálogo».