O presidente moçambicano, Armando Emílio Guebuza, considerou hoje que o acidente aéreo, na sexta-feira, envolvendo um avião da companhia LAM, que causou 33 mortos, «é um choque» que não deve levar o país à resignação.

«Como nação e como famílias enlutadas e em homenagem aos nossos entes queridos, continuemos em frente a realizar os sonhos da nação moçambicana», disse Guebuza, numa mensagem ao país.

O Presidente moçambicano adiantou que já foram localizados os corpos das vítimas do acidente do avião das Linhas Aéreas Moçambicanas (LAM).

Um Embraer 190, de fabrico brasileiro, caiu na tarde de sexta-feira, após partir de Maputo as 11.26 horas (09:26 em Lisboa) com chegada a Luanda prevista para 14.00 horas locais (13:00, em Lisboa). O aparelho despenhou-se no Parque Nacional de Bwabwata, norte da Namíbia, antes de chegar ao destino.

No sábado, foram localizados os destroços do aparelho em Bwabwata. Todos os 33 ocupantes da aeronave, 27 passageiros e seis membros da tripulação, morreram no acidente.

A bordo seguiam 16 moçambicanos, nove angolanos, seis portugueses, um francês e um chinês.

Armando Guebuza disse ter falado hoje com o seu homólogo namibiano, Hifikepunye Pohamba, de quem terá recebido detalhes sobre o acidente.

«Nesta comunicação, informou-me sobre a localização dos restos mortais dos passageiros e tripulantes da aeronave acidentada», disse Guebuza.