Uma operação guiada pelo Líbano e com o apoio das Nações Unidas devolveu um abutre que foi capturado por cidadãos libaneses ao país de origem, Israel.

Segundo jornais libaneses, ao ver o abutre, os populares tiveram medo de ser atacados e por isso decidiram capturá-lo. Ao ver que o abutre estava equipado com um transmissor, pensaram que se tratava de um “abutre espião”.

O abutre que foi capturado na terça-feira, pertence à espécie Grifo Euroasiático, que está em vias de extinção.

Os aparelhos encontrados na ave têm o propósito de saber por onde ela voa. Antes deste incidente, o abutre tinha sido libertado na Reserva Natural de Gamla há um mês. Os registos do localizador mostram que foi capturado a quatro quilómetros da fronteira de Israel.

Segundo relata o The Jerusalem Post, após as forças de segurança terem confirmado que o abutre não era uma ameaça, o animal foi libertado.

 “Em pleno século XXI esperávamos que as pessoas percebessem que os animais selvagens não são perigosos e que o seu papel é agir conforme a sua natureza”, explicou Ohad Hatzofe, um ecologista aviário da Autoridade Israelita para os Parques e Natureza (INPA).


A INPA informou esta sexta-feira que o abutre já foi devolvida aos céus israelitas.