Três pessoas morreram, várias ficaram feridas e pelo menos 82 foram detidas - entre elas um luso-descendente - pela Guarda Nacional Bolivariana, a polícia militar, naquele que é tido como o dia de maior repressão contra opositores na Venezuela.

Segundo a agência Lusa, uma das vítimas foi identificada como Andrés Uzcátegui e morreu, segundo diversas fontes, de um tiro no peito, quando a GNB reprimia uma manifestação opositora em La Isabelica, Valência, a 150 quilómetros a oeste de Caracas.

No mesmo lugar, quatro outras pessoas ficaram feridas, entre elas Robert Lugo, que também recebeu um tiro no peito e se encontra internado numa clínica local, em estado considerado grave.

A terceira vítima mortal foi contabilizada nas últimas horas do dia da "paralisação cívica" que deixou comércio e escritórios encerrados e e estradas bloqueadas em muitos locais do país.