Os temas relativos ao ambiente, como desmatamento, mudanças climáticas, gestão da água e energia, são pouco lembrados pelos candidatos à Presidência brasileira e sua discussão ficaram à margem do debate eleitoral na primeira volta.

Segundo ambientalistas contactados pela Lusa, o tema não reúne consenso junto do eleitorado, pelo que os candidatos às eleições presidenciais de domingo não deram um destaque semelhante a outras eleições.

«Os candidatos falam do que faz a população decidir ou não votar neles. Se pensarmos no quanto o meio ambiente deve ser incluído no debate, vamos ficar desiludidos, mas, nos últimos anos, houve avanços do tema no quotidiano de uma parcela da população», disse Marcio Astrini coordenador de campanhas do Greenpeace no Brasil.

Os brasileiros vão às urnas no domingo para escolher um novo presidente, na sétima eleição direta para o cargo desde o fim da ditadura militar no país (1964-1985), com duas mulheres à frente na preferência do eleitorado.

Os principais candidatos ao cargo são Dilma Rousseff (do Partido dos Trabalhadores/PT), Marina Silva (Partido Socialista Brasileiro/PSB) e Aécio Neves (Partido da Social Democracia Brasileira/PSDB).

Marina Silva era candidata à vice-presidência no PSB, mas o candidato presidencial Eduardo Campos morreu num acidente de avião a 13 de agosto - no qual perderam a vida sete pessoas, em Santos, no litoral de São Paulo - o que levou a ex-senadora a concorrer à Presidência do país.