O primeiro-ministro grego afirmou que a votação das reformas acordadas com a zona euro é apenas um passo para negociar as condições de um terceiro resgate, e garantiu que o governo vai procurar “alianças” para “melhorar” o programa final.

“A partir de amanhã [hoje] há que negociar outra vez as condições do acordo. Temos de utilizar cada aliança na Europa para melhorar o acordo final”, disse Alexis Tsipras, ao intervir no debate parlamentar, já ao início da madrugada desta quinta-feira. 

O chefe do Executivo de Atenas reiterou que tem de aplicar um acordo em que não acredita, mas destacou que ninguém pode “afirmar que a autoria do programa pertence ao governo grego”.

A Grécia está a votar o segundo pacote de reformas, mas segundo a Reuters, que refere a imprensa do país, duas medidas poderão ser adiadas. 

Entre as medidas estão: o aumento de impostos para os agricultores, de 13% para 26%, e a redução das reformas antecipadas. 

Na terça-feira, a porta-voz governamental Olga Gerovassili, adiantou que o governo grego espera concluir um acordo com os credores sobre um novo empréstimo ao país  até 20 de agosto

Segundo a Bloomberg, o Banco Central Europeu (BCE) voltou a aumentar a  linha de emergência à banca grega, em 900 milhões de euros, depois de já o ter feito a semana passada, no mesmo valor. 


Leia também:

O calendário da ajuda à Grécia