O Primeiro-ministro grego convocou a sua equipa para uma reunião na qual vai decidir se convoca eleições antecipadas. Alexis Tsipras vai falar ao país às 17:00 (hora de Lisboa), na televisão pública ERT e pode anunciar a sua demissão.

A aprovação do terceiro resgate ao país mostrou uma subida do descontentamento no seio do Syriza, o que levou o próprio chefe de governo a anunciar que depois de reembolsar o BCE (o que aconteceu esta quinta-feira) iria apresentar no parlamento uma moção de confiança.

A votação esteve longe de ser pacífica, e é um forte golpe vindo do seu próprio partido. É que 43 deputados, ou quase um terço dos deputados do Syriza votaram contra ou abstiveram-se, um número bem maior do que as três dezenas de deputados que votaram contra as reformas, no mês passado

A Grécia já pagou 3,4 mil milhões de euros ao Banco Central Europeu, um reembolso referente às obrigações do tesouro a cinco anos cuja maturidade vencia esta quinta-feira.

Depois de os parlamentos holandês e alemão terem votado favoravelmente o terceiro resgate a Atenas esta quarta-feira, encerrando assim a ronda de votações nos parlamentos nacionais, os líderes da zona euro ratificaram a decisão que permitiu libertar 23 mil milhões de euros para os cofres de Atenas. 

Deste montante, 10 mil milhões irão para ajudar a capitalizar o setor da banca. A maioria do restante dinheiro irá para pagar aos credores, nomeadamente o empréstimo-ponte de sete mil milhões de euros, acordado na semana passada, e para saldar dívidas domésticas em atraso.