A projeção oficial da Singular Logic diz que o "Não" vai ter mais de 61% dos votos no referendo da Grécia. As primeiras sondagens divulgadas apontaram para uma vitória do "Não", mas por escassa margem. No entanto, agora a primeira projeção oficial indica que a vitória pode ser maior do que inicialmente se pensava.

De acordo com um responsável da Singular Logic, a maioria dos gregos rejeitou as propostas apresentadas pelos credores, com o "Sim" a reunir apenas cerca de 39% dos votos. 

Os valores desta projeção oficial estão, de resto, muito próximos dos primeiros resultados oficiais, que também apontam para uma vitória do "Não" com cerca de 60% dos votos. 

A confirmar-se este resultado, que será uma vitória para o Executivo de Alexis Tsipras depois de uma intensa campanha pelo "Não", o Governo grego já disse que quer começar as negociações ainda hoje. 

As maiores estações de televisão da Grécia dão todas a vitória ao "Não". A projeção para a MegaTV dá 51,5% ao "Não" e 48,5% ao "Sim".  A projeção da Alpha TV dá uma vitória ao "Não" entre os 49,5% e os 54,5%. A Star Channel atribui 51,5% ao "Não" e 48,5% ao "Sim". Já a projeção da ANT1 dá 49% ao "Não" e 46% ao "Sim", atribuindo ainda 2% a votos brancos ou inválidos e 2% a indecisos. 



Importa aqui referir que estas sondagens não foram feitas à boca das urnas, mas sim pelo telefone, pelo que a margem de erro em causa é maior.
 

O porta-voz do Syriza já reagiu às primeiras projeções, segundo a Reuters, afirmando que os resultados permitem ao executivo liderado por Alexis Tsipras seguir em frente e fechar um acordo com os credores. 

O Governo grego já veio esclarecer que quer começar "as verdadeiras negociações ainda hoje", uma vez que "com este resultado, o primeiro-ministro tem um mandato claro do povo grego. O mandato é para o governo defender a sua proposta e as suas posições. As verdadeiras negociações devem começar hoje à noite", disse Gabriel Sakellaridis, disse o porta-voz do Governo. 

Também o ministro de Estado grego, Nikos Pappas, reagiu e afirmou que o acordo com os credores será “melhor” se se confirmar a vitória do “não” no referendo e assegurou que os bancos vão ter liquidez.

“O acordo será melhor se ganhar o ‘não’, será uma mensagem mundial”, disse Pappas à televisão privada Alpha. O ministro assegurou, por outro lado, que “não há razões para que os bancos não tenham liquidez”.


Após o fecho das urnas, às 19:00 locais (17:00 em Lisboa), o primeiro-ministro, Alexis Tsipras, foi para a residência oficial, onde está a acompanhar os resultados.

Uma das sondagens apresenta a distribuição dos votos por idade, o que mostra que os mais velhos votaram em maioria no "Sim", enquanto os mais novos optaram em maioria pelo "Não".