Pelo menos cinco migrantes ficaram feridos nesta sexta-feira quando a polícia macedónia lançou granadas de gás lacrimogéneo e de ruído junto à fronteira do país com a Grécia, relatam as agências internacionais Reuters e France Presse.

Mais de 3.000 migrantes, na sua maioria sírios, estão retidos nas proximidades da cidade grega de Eidomeni, depois de a Macedónia ter declarado o estado de emergência, na quarta-feira, e enviado tropas para ajudar a conter o fluxo migratório dos que tentam atravessar a fronteira para o lado macedónio, com o objetivo de chegar ao norte da Europa.

A polícia de intervenção disparou granadas e enfrentou centenas de migrantes, incluindo mulheres e crianças, que estavam reunidos na fronteira, para impedir que entrassem no país.

                           

Um jornalista da Reuters disse ter visto pelo menos quatro migrantes ensanguentados, que tiveram de receber tratamento do lado grego.

                           

A passagem dos migrantes pela Macedónia atingiu nas últimas semanas os 1.500/2.000 por dia, levando ao desespero de multidões que tentam a custo entrar no país e chegar à estação de comboios mais próxima da fronteira com a Grécia.
 
Os repórteres da Reuters contam, ainda, que a tensão rapidamente diminuiu e que um grupo de pelo menos 1.000 migrantes mantinha-se junto à Macedónia, com o caminho bloqueado pela polícia e veículos armados.