É o verdadeiro bebé milagre. Nasceu com 21 semanas e quatro dias de gestação, com apenas 425 gramas de peso e os médicos não acreditavam que sobrevivesse. A verdade, é que a menina tem agora três anos e é uma criança saudável.

O caso do "bebé mais prematuro de sempre" foi contado na revista Pedriatics e revela que a menina, do Texas, é a mais jovem sobrevivente do mundo.

Há três anos, a mãe, Courtney Stensrud, viu as águas rebentarem quando tinha apenas 21 semanas e quatro dias de gestação. O parto foi provocado por uma infeção na membrana da placenta e a criança teve de nascer mais cedo do que o previsto no hospital do Texas.

Depois da criança nascer, e sem cortar o cordão umbilical, o médico - autor do artigo - consolou a mãe e deixou-a pegar na filha, dizendo-lhe, no entanto, que a recém-nascida tinha muito poucas hipóteses de sobreviver e que era contra a reanimação.

Apesar do que estava a ouvir, dentro de mim tinha uma voz que me dizia «tem esperança e fé». Não me importava que a menina só tivesse 21 semanas e quatro dias. Não me interessava. Enquanto o médico falava, disse-lhe: «vai tentar, certo?» e ele respondeu-me que sim e três anos depois, temos o nosso bebé milagre", contou a mãe à CNN.

O médico acabou por mudar de ideias e acabou por reanimar a recém-nascida.

"Quando a mãe pediu que fizéssemos tudo pela filha, apesar de não termos nada que nos levasse a crer que o bebé iria sobreviver, eu tomei a decisão de fazer uma ressuscitação vigorosa. Colocámos o bebé numa maca com cobertores quentes, auscultá-mo-la e começámos a ouvir o batimento que não estávamos à espera. Colocámos-lhe imediatamente um tubo de oxigénio e, rapidamente, os batimentos começaram a aumentar. Devagarinho, ela começou a mudar da cor azul para cor-de-rosa, a mexer-se e começou a respirar em minutos. Foi um milagre", escreve o médico no artigo.

A criança, cujo nome não foi revelado a pedido dos pais, esteve 126 dias nos cuidados intensivos. Pouco mais de quatro meses. Tem agora três anos e é uma criança saudável.

"Não conto muito a história, mas quando o faço, as pessoas surpreendem-se. Agora, as mães que passem pelo mesmo podem pesquisar no Google e encontrar alguma esperança", afirmou a mãe.

No entanto, os médicos alertam que "apesar da incrível história" desta criança, é "importante que as pessoas entendam que nascer antes das 22 semanas de gravidez é um grande risco".