John Andrew Welden, de 29 anos, enganou a namorada e deu-lhe comprimidos para abortar. A mulher acabou por perder a criança.

Quando a namorada lhe disse que estava grávida, John Welden, filho de um médico obstetra da Florida, nos Estados Unidos, não ficou propriamente feliz com a notícia. Por isso, arranjou um plano de maneira a fazer a namorada abortar sem que ela desconfiasse.

Welden disse à namorada que a ecografia, feita na clínica do pai, havia detetado uma infeção no sangue e que, em consequência, ela tinha que tomar um antibiótico. Três comprimidos daqueles por dia. A mulher aviou a receita que John lhe deu, com a assinatura falsificada do pai. Ao fim da primeira toma, a namorada de Welden sentiu-se mal e foi levada para o hospital com contrações e hemorragias. Acabou por perder a criança.

Soube depois que aquilo que a receita que o namorado lhe deu era um medicamento para acelerar contrações e abortar. John Andrew Welden confessou o crime e chegou a acordo com a acusação. Pode apanhar até 13 anos de cadeia, mas está livre da prisão perpétua, conta o «The Independent» na edição desta terça-feira.