A Áustria congelou os ativos de 18 ucranianos suspeitos de violarem os direitos humanos e de envolvimento em corrupção, anunciou esta sexta-feira o Ministério dos Negócios Estrangeiros em Viena. As identidades não foram, contudo, divulgadas.

A União Europeia tinha decidido a 20 de fevereiro aplicar sanções específicas, incluindo a proibição de vistos e congelamento de bens, contra uma lista de pessoas próximas ao presidente ucraniano deposto, Viktor Ianukovich.

EUA apoiam Governo de transição
O vice-Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, telefonou esta sexta-feira ao novo primeiro-ministro da Ucrânia, Arseniy Yatsenyuk, a quem manifestou «apoio total» do seu país na transição até às eleições de maio.

Biden garantiu a Arseniy Yatsenyuk que os Estados Unidos vão colaborar com a Ucrânia para que este país possa levar a cabo reformas que permitam «sanear a sua economia, trabalhar para a reconciliação nacional, cumprir as suas obrigações internacionais e procurar relações abertas e construtivas com os seus vizinhos», informou, em comunicado, a Casa Branca.