Quase 140.000 pessoas assinaram até esta terça-feira uma petição lançada por funcionários das instituições europeias pedindo que sejam tomadas “medidas exemplares” face à contratação do ex-presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, pelo banco norte-americano Goldman Sachs.

“Em nosso nome, não!” é o título da petição, aberta a todos os cidadãos europeus até ao fim de setembro, para pedir “fortes medidas exemplares” contra Durão Barroso, “cujo comportamento desonra os funcionários europeus e a União Europeia”.

O apelo, lançado a 11 de julho, três dias depois do anúncio da contratação de Durão Barroso como conselheiro do Goldman Sachs International para as questões ligadas à saída do Reino Unido da UE (‘Brexit’), pretende alcançar as 150.000 assinaturas.

A Comissão Europeia decidiu deixar de receber Durão Barroso, em Bruxelas, como ex-presidente da Comissão Europeia, passando a tratá-lo como lóbista. Barroso terá de dar explicações ao executivo europeu sobre a sua relação contratual com a Goldman Sachs Internacional, onde assumirá funções de presidente não-executivo.