Atualizado às 12:40

As autoridades do Reino Unido retiveram domingo durante nove horas no aeroporto de Heathrow o companheiro do jornalista do diário «The Guardian», Glenn Greenwald, que divulgou as revelações do antigo agente das informações norte-americanas Edward Snowden.

David Miranda, 28 anos, fazia escala em Londres num voo iniciado em Berlim e com destino ao Rio de Janeiro, onde vive com Greenwald, quando foi retido pelas forças de segurança ao abrigo de legislação contra o terrorismo que permite deter e interrogar pessoas em aeroportos, portos e zonas de fronteira, revelou o «The Guardian».

O companheiro de Greenwald foi posto em liberdade nove horas depois da detenção, o tempo máximo em que alguém pode ficar retido sem que seja acusada, mas os agentes confiscaram diversos equipamentos que transportava como, entre outros, o telefone móvel, computador portátil, máquina fotográfica e cartões de memória.

Brasil qualifica de «medida injustificável» a detenção

Entretanto, o Governo do Brasil qualificou como uma «medida injustificável» a detenção do brasileiro David Miranda, escreve a imprensa brasileira.

David Miranda foi detido e mantido incomunicável pelas autoridades, segundo o jornal «O Estado de São Paulo».

«Trata-se de medida injustificável por envolver indivíduo contra quem não pesam quaisquer acusações que possam legitimar o uso de referida legislação», afirmou o Ministério das Relações Exteriores brasileiro (Itamaraty), divulgado pelo diário na noite de domingo.