Uma equipa de arqueólogos descobriu ossos de dois bebés enterrados há cerca de 11.5000 anos, durante o Pleistoceno, que representam os restos humanos mais jovens dessa era glacial encontrados na América do Norte, informou na terça-feira a imprensa local.

A descoberta ocorreu em 2013 perto do rio Tanana no centro do Alaska, mas acaba de ser publicada na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences, informou o diário «The Fairbanks Daily News-Miner».

Em 2010, os arqueólogos tinham encontrado ossos parcialmente queimados de um menino de três anos numa grande duna de areia perto da localidade de Fairbanks, mas só três anos mais tarde se aperceberam que havia mais restos mortais a mais 38 centímetros de profundidade, na mesma zona.