O filho de um dos principais líderes da máfia causou polémica em Itália ao dar uma entrevista na televisão pública sobre um livro dedicado ao pai. Giuseppe Salvatore Riina descreveu a sua infância como “feliz” e recusou denunciar a máfia.

Apesar dos 150 homicídios que o pai de Riina ordenou enquanto líder do grupo Casa Nostra, o filho não o denunciou durante a entrevista e ainda o considerou “um homem íntegro, que respeita a família e os valores tradicionais”.

Depois da emissão da entrevista, que foi mal recebida em Itália, os diretores da cadeia de televisão RAI foram convocados a uma comissão parlamentar anti máfia na próxima quinta-feira.

Toto Riina, o pai de Giuseppe Salvatore Riina, tem agora 85 anos. Foi preso em 1993 acusado de múltiplos homicídios, nomeadamente por ordenar, em 1992, a morte dos magistrados anti máfia Giovanni Falconi and Paolo Borsellino.

As autoridades acreditam que mais de mil pessoas tenham sido mortas pela máfia italiana nos anos 80, quando Riina subiu a líder da Casa Nostra.

Giuseppe Salvatore Riina também foi condenado, por nove anos, mas está neste momento em liberdade condicional.