O Conselho Europeu, reunido até sexta-feira em Bruxelas, não adotou ainda quaisquer conclusões, devido à reserva da Itália, que só aceita subscrevê-las após o debate sobre as migrações, indicaram várias fontes europeias.

Em comunicado, o porta-voz do presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, anunciou que “uma vez que um Estado-membro reservou a sua posição a todas as conclusões, nesta fase não foram acordadas conclusões”, sem especificar de que país se tratava.

Várias fontes europeias confirmaram à Lusa que foi o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, quem recusou subscrever as conclusões até que se debata a questão das migrações.

Por esta razão, a conferência de imprensa dos representantes institucionais da União Europeia foi cancelada e terá lugar amanhã [sexta-feira], no final da cimeira”, acrescentou a nota do porta-voz de Tusk.

O primeiro-ministro italiano ameaçou hoje votar contra as conclusões da cimeira da União Europeia consagrada à questão migratória se a Itália não vir satisfeitos os seus pedidos.