Os peritos forenses que trabalham com os destroços do avião da Germanwings que se despenhou nos Alpes franceses na última terça-feira já isolaram entre 70 a 80 amostras de ADN dos ocupantes do aparelho. A informação está a ser avançada pela BFMTV, que cita fontes das autoridades francesas encarregues da investigação.

Até ao momento, não foi identificado qualquer passageiro. Será um processo que terá lugar em Paris, comparando as amostras recolhidas com as quase 5 mil amostras fornecidas pelos familiares das vítimas.

Cerca de meia centena de polícias e membros das equipas de resgate trabalham no local da tragédia, tentando recuperar os restos mortais das 150 vítimas mortais. Procuram também uma das caixas negras, que continua desaparecida.  Por dia, são feitos 50 voos de helicópteros para transportar técnicos de busca.