«Ao longo dos últimos dez anos, alguns dos meus vizinhos, dos meus amigos, dos meus colegas e até mesmo o meu agente não sabiam nada sobre a minha história. A isto chama-se uma revelação, esta é a minha».

Foi com estas palavras que, a 31 de março, Dia Internacional da Visibilidade Transgénero, a modelo filipina Geena Rocero iniciou a intervenção numa famosa Conferência de TED e revelou ao mundo que é transexual. Geena Rocero partilhou a verdadeira história da sua vida, uma vida que até ao final de 2013 manteve escondida até dos amigos e conhecidos mais próximos, refere o jornal «El País».

Embora a natureza lhe tenha dado feições e proporções quase perfeitas, Geena Rocero explicou que viveu um verdadeiro pesadelo: sentia-se presa num corpo masculino que não tinha nada a ver com a sua verdadeira identidade.

«Ao nascer, fui designado do sexo masculino com base na aparência dos meus órgãos genitais, mas com cinco anos, já andava pela minha casa, nas Filipinas, com uma camisa na cabeça. A minha mãe perguntava-me porque colocava a camisa daquela forma e eu respondia-lhe: Mãe é o meu cabelo. Eu sou uma menina», contou.





Embora, durante os 10 anos de trabalho no mundo da moda, Geena Rocero tenha tido medo de arruinar a carreira se dissesse a verdade, em dezembro de 2013, a modelo decidiu arriscar e contar tudo aos amigos mais próximos. Depois de receber o apoio do agente, Rocero decidiu tornar público o segredo.

«Por causa do meu sucesso, eu nunca tive a coragem de partilhar a minha história. Não porque ache que é errada, mas pela forma como são tratados os transexuais que querem ser livres (...) A nossa taxa de suicídio é nove vezes maior do que o resto da população. Por isso, eu estou aqui, para ajudar os outros a viverem a sua verdade, sem vergonha ou medo», explicou.

E foi para ajudar os transexuais com menos sorte do que ela, que Geena Rocero fundou a Gender Proud (Género Orgulhoso). É uma organização global que se dedica a aumentar a consciência sobre as questões de mudança de género e que «luta pelos direitos dos transexuais e defende o reconhecimento da mudança de sexo antes de se realizar a cirurgia de mudança», refere Geena Rocero, ao mesmo tempo que confessa que adoraria ser a primeira transexual embaixadora da ONU.

«Estou hoje aqui graças a uma longa história de pessoas que lutaram e se levantaram contra a injustiça. Hoje, neste exato momento, esta é a minha verdadeira "saída do armário". Eu já não podia viver a minha verdade só para mim. Quero dar o meu melhor para ajudar os outros a viverem a sua verdade», concluiu.