Notícia atualizada às 20:00

Israel e o movimento islâmico palestiniano Hamas aceitaram, este domingo, cessar as armas por mais 72 horas. A nova proposta de cessar-fogo em Gaza entrará em vigor a partir das 00:01 locais (22:01 em Portugal continental).

A proposta partiu do Egito, noticia a AFP. Os primeiros a aceitá-la foram os palestinianos.

O Hamas, que controla a Faixa de Gaza, indicou que concorda com o novo esforço da mediação egípcia. A agência oficial do Hamas «al-Ray» informou que «foi acordado um cessar-fogo de 72 horas e será válido a partir da meia-noite».

Em comunicado, também Israel anunciou que «respondeu positivamente ao pedido para um cessar-fogo de 72 horas».

Do Cairo chegam apelos para que as duas partes aproveitem a trégua de 72 horas e trabalhem no sentido de «um cessar-fogo permanente e global».

«Quando se regista uma escalada da situação na Faixa de Gaza e dada a necessidade de preservar o sangue de inocentes, o Egito apela às duas partes, israelitas e palestinianos, para se comprometerem com um cessar-fogo efetivo de 72 horas a partir de segunda-feira às 00:01 hora do Cairo» e a «trabalharem durante esse período, para um cessar-fogo permanente e global», indica em comunicado o Ministério dos Negócios Estrangeiros egípcio.

O Egito, na mediação das conversações, já pediu várias vezes o fim do conflito que fez perto de dois mil mortos desde 8 de julho. As vítimas são na maioria civis palestinianos.

Um anterior cessar-fogo de 72 horas expirou na sexta-feira.