O presidente iraniano felicitou o Hamas pela sua «vitória» contra Israel em Gaza, pedindo ao movimento para prosseguir a resistência, num telefonema para Khaled Mechaal, chefe do Hamas no exílio em Damasco, revelou a agência Isna, citada pela Lusa.

«Hoje é o início da vitória e, com perseverança, os elos da vitória serão completados», declarou Ahmadinejad, cujo país é um fiel aliado do movimento islamita palestiniano.

De acordo com Ahmadinejad, é necessário fazer «pressão para obter a retirada completa do regime sionista (de Gaza), a abertura das passagens, o julgamento dos criminosos sionistas e a ruptura das relações com o regime sionista (...) pelos governos islâmicos».

O Irão demente fornecer armas ao Hamas, afirmando apoiá-lo apenas moral e financeiramente. Israel é o principal inimigo da República islâmica do Irão. Teerão nunca reconheceu o Estado hebreu.

Importante coluna de ajuda humanitária rumo a Gaza

Israel autorizou, esta segunda-feira, a passagem de cerca de 200 camiões de ajuda humanitária para Gaza, bem como o fornecimento de 400.000 litros de óleo combustível.

«Uma coluna de 120 camiões deve distribuir a ajuda pelo terminal de Kerem Shalom e uma outra coluna de 60 a 70 camiões a partir do terminal de Karni», declarou o comandante Peter Lerner, porta-voz da administração militar.

Peter Lerner indicou que 40.000 toneladas de ajuda humanitária, que consiste em alimentos e medicamentos, chegaram à Faixa de Gaza, desde o desencadeamento da ofensiva israelita ,a 27 de Dezembro.

Um cessar-fogo unilateral israelita entrou domingo em vigor às 02h00 (meia-noite em Lisboa). Algumas horas antes, o Hamas também anunciou uma cessação das hostilidades.

Em três semanas, pelo menos 1.300 palestinianos foram mortos, dos quais 410 crianças e 108 mulheres, para além de 5.300 pessoas terem ficado feridas, segundo os serviços de emergência de Gaza.