O pai do bebé com síndrome de Down alegadamente abandonado na Tailândia junto da mãe biológica foi condenado em 22 casos por delitos relacionados com abusos a menores, mostram documentos da justiça australiana revelados esta quinta-feira pela imprensa do país.

Aberta investigação ao homem que abandonou bebé com síndrome de Down

O homem, australiano, de 56 anos e cujo nome tem as iniciais D, J e F foi sentenciado em 1997 a três anos de prisão por molestar duas meninas, de sete e dez anos, no início da década de 1980.

As vítimas foram molestadas quando visitavam a casa do homem e denunciaram o seu comportamento já adultas, tendo conseguido a condenação em 18 acusações.

Um mês depois da sua entrada na cadeia, foram apresentadas novas queixas por propostas indecentes a uma rapariga de 13 anos, feitas em meados dos anos de 1990.

O julgamento pelo novo caso levou DJF novamente à cadeia por mais 18 meses.

O caso ficou conhecido depois da tailandesa Pattaramon Chan, a «barriga de aluguer» ter denunciado que o casal levou a criança saudável do rapaz que foi deixado para trás por, disse, sofrer do síndrome de Down e ter problemas cardíacos.