Novos confrontos foram registados esta manhã, à margem da cimeira do G20, em Hamburgo, na Alemanha, com manifestantes a incendiarem carros da polícia, informaram as autoridades.

A polícia federal informou, pouco antes das 07:00 (08:00 em Lisboa), sobre uma “operação em curso contra pessoas violentas”, que lançaram cocktails molotov e incendiaram “viaturas de patrulha” no bairro de Altona, perto de uma esquadra da polícia, de acordo com uma mensagem difundida através da rede Twitter.

Segundo as autoridades, são esperados até 100.000 manifestantes em ações à margem da cimeira do G20, marcada esta sexta-feira pelo primeiro encontro entre os presidentes norte-americano, Donald Trump, e russo, Vladimir Putin.

Trump já garantiu, através do Twitter, que há "muito por discutir" com o homólogo russo.

Os confrontos ocorridos na noite de quinta-feira já tinham provocado mais de 70 feridos ligeiros entre os agentes e dois entre os manifestantes.

“O Estado policial faz tudo o que pode para nos privar do nosso direito a manifestar”, disse à agência noticiosa AFP um participante nas manifestações, Georg Ismail.

“As guerras, as alterações climáticas e a exploração são o resultado do sistema capitalista, representado pelo G-20”, acusou.