Os rebeldes pró-russos denunciaram o fuzilamento pela Guarda Nacional da Ucrânia de dois milicianos feridos e atendidos no hospital de Krasni Limán, localidade próxima de Slaviansk, retomada esta madrugada pelas forças ucranianas depois de intensos combates urbanos.

«Deixámos Krasni Limán e o hospital da localidade, no qual se encontravam os feridos. A Guarda Nacional fuzilou todos os feridos não deixando um único com vida», denunciou o primeiro-ministro da denominada República Popular de Donetsk, proclamada independente da Ucrânia.

O Presidente interino da Ucrânia, Alexandr Turchínov, encarregou o Conselho Nacional de Segurança e Defesa do país de estudar a declaração imediata da lei marcial nas regiões de Donetsk e Lugansk, cenário de uma contra operação contra os insurgentes pró-russos.